Misty Slope

Livros

Comece já

 

Castelo de vidro

A vida é um pote de cereja com algumas nozes misturadas”

Filosofia de vida da família Walls

O que alguém entende sobre viver na rua? A maioria de nós, certamente, sabe muito pouco, porque a regra dos humanos é viver em casas e se privar do brilho das estrelas ao cair do sono.


E se alguém deseja dar aos filhos as estrelas? E promete um castelo de vidro por toda uma jornada, que nunca chega a ser construído?


Essa é a narrativa central do livro de Jeannette Walls, jornalista norte-americana, que resolve contar a sua visão sobre a família, moradora de rua nos Estados Unidos. Uma história de privação, que não se resolve se gratuita ou não, conflitos e muito afeto familiar.


O pai era um engenheiro que contestava o sistema capitalista e não se adequava as propostas convencionais de emprego ou subemprego. E vivia às voltas com o alcoolismo. A mãe, uma artista incapacitada para o rigor do mundo moderno, que, às vezes, se propunha professora. E a história de mais quatro filhos criados ao rebento do dia e ao cair da noite, e os auxiliavam como podiam, de forma bastante generosa, aprendendo cada um a “ser” por si mesmo.


A narrativa traz o entendimento da filha já adulta não mais a partir de uma história de negação. Mas da compreensão e do resgate dos bons valores construídos em família. Um desses valores é a criatividade que encontrava para solução de problemas, que para muitos de nós se converteriam em pesadelo. Outro é o perdão, que permite superar conflitos mesmo diante de violência física.


Para o leitor, fica o questionamento de saber que se trata de uma escolha ou desajuste social ou, ainda, repulsão do sistema em relação àqueles que não se adaptam ou não se aperfeiçoam.


Ao que nos parece negligência, egoísmo e o que é, de fato, uma boa dose de falta de costume, como o trecho que descreve a mãe compartilhando açúcar com uma ratazana, é superado pela compreensão e resiliência dos filhos, que, em união, descobrem o valor do estudo, do trabalho e do dinheiro.


Um livro que nos ensina a encontrar a qualidade redentora e a amar as pessoas do jeito que elas são. E que deixa a lição de que é preciso espantar fantasmas e aproveitar os bons momentos da vida, por mais sinistros que pareçam. Porque com o tempo, quando todos os lixos estiverem vasculhados e esquecidos, e os sonhos alheios dissolvidos em pó, ainda teremos as estrelas.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo